domingo, 2 de dezembro de 2012

Ser "Bonequeira sem Fronteiras"....


... e me perguntei um dia: o que é para mim ser uma “Bonequeira sem Fronteiras”?
E a resposta me surgiu por entre sonhos, lembranças e fantasias. Recordações da infância que vivi, e da minha vida presente se misturando e criando personagens de histórias. Histórias aonde ficção e realidade se misturam de tal forma que é impossível discernir uma da outra. Minha avó Maria com sua ternura e sua alegria sempre presente nas minhas lembranças... Sua vontade de ser bonequeira, criadora de bruxinhas que representassem a identidade da infância. Sua certeza muda, de que o mundo é mais belo com linhas e agulhas... e então, me faço criança outra vez. Sonho e embarco na fantasia dos personagens que representam tudo aquilo busco e desejo. Representam também meus medos e angústias. Sentir-me pequena, diminuída perante a grandeza do mundo e da Divindade. Mas costurando essas lembranças teço minha vida, e tal como uma colcha de retalhos, gosto do que vejo. Não quero voltar no tempo. Tenho orgulho da minha trajetória, e para frente é que se faz o caminho. Estendendo a mão para o outro, compartilhando afeto e amor. Sem limites de espaço e com o tempo nas pontas dos dedos... E assim sou feliz!


2 comentários:

  1. lindas, lindas ...PARABENS Dri :)

    ResponderExcluir
  2. Que delícia de post. Lembrar nossas avós nos faz muito bem, não é mesmo? Eu amava a minha, que me criou com muito carinho.
    Bjks e parabéns. Neli Alves - Iaiá Arteira

    ResponderExcluir